GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

MORRE O CENÓGRAFO VOTUPORANGUENSE GUTO VISCARDI

Ele vivia em Brasília onde fez carreira artística e integrava Mundiam Cia de Teatro

Publicado em: 23 de fevereiro de 2018 às 20:08

O cenógrafo, figurinista, professor e artista plástico Guto Viscardi morreu, nesta sexta-feira (23/2), aos 45 anos, em sua casa em Brasília. De acordo com amigos, a suspeita é de que ele tenha tido um ataque fulminante. Recentemente, ele havia feito exames de rotina e não tinha detectado nenhum problema de saúde. Ainda não há informações sobre velório e enterro.



Viscardi nasceu em Votuporanga, no interior de São Paulo, mas já morava em Brasília há muitos anos, onde se tornou referência em artes cênicas e também plásticas. Ele integrava a Mundin Cia de Teatro, na qual dirigia atualmente o espetáculoProcesso Brontë, inspirado na história dos irmãos Brontë, que estava previsto para ser encenado em julho. "Ele estava em um período bem fértil de trabalho", lembra James Fensterseifer, ator e diretor da Cia Brasilienses de Teatro.

Fensterseifer era um grande amigo e parceiro de Guto Viscardi. Os dois trabalharam juntos nos últimos 17 anos em 14 espetáculos teatrais. "O Guto era um companheiro, um artista maravilhoso. Ele também era um professor muito dedicado. Dava aula para jovens em supletivos, passou pelo Departamento de Artes Cênicas da UnB. Sobretudo era um parceito muito fiel, fizemos diversas turnês juntos", conta. Recentemente, Guto tinha participado do projetoJogo de cena, de James Fensterseifer, no quadroPintor da noite, em que artistas produzem pinturas em cima do palco.

Joana Lopes, atriz, diretor, cenógrafa e figurinista da Mundin Cia de Teatro, também era muito próxima de Guto. Eles estavam trabalhando juntos na nova montagem da companhia e estudaram na UnB. "Ele era um profissional que viveu da arte durante muito tempo. Ele estava sempre envolvido com as questões artísticas de Brasília", afirma.

Guto Viscardi se formou na UnB nos anos 2000. Era bacharel em artes cênicas com habilitação em interpretação teatral e tinha licenciatura em educação artística com habilitação em artes plásticas. O envolvimento com o teatro começou em 1994 e atuou como cenógrafo, figurinista, ator, diretor e aderecista. Entre os espetáculos que participou, montagens comoCosme trepado,O despertar da primavera,Lições de Motim,PulsaçõesePela metade, o qual conquistou o prêmio de melhor figurino no prêmio Sesc do Teatro Candango. Atualmente, ministrava uma disciplina na Faculdade Dulcina, no Conic, e no currículo teve passagens pela UnB, onde deu aula de figurino e cenografia.



(Adriana Izel – Correiobrasiliense)

Publicidade