GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

EM ALTA

VOTUPORANGA não para com a crise

Publicado em: 30 de novembro de 2017 às 18:56

EM ALTA
O número de lojas de móveis e decoração cresceu 41,1% em Votuporanga, de 2007 a 2016, segundo estudo do Sindicato do Comércio Varejista de Votuporanga, em parceria com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Os dados foram levantados a partir da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), órgão do Ministério do Trabalho e apresentados hoje durante entrevista coletiva do presidente do Sindicato de Votuporanga, João Herrera Martins, e economista da Fecomercio.

A expansão foi a mais expressiva entre as atividades consolidadas do comércio varejista da cidade no período. O movimento foi na contramão do setor como um todo, já que o número de estabelecimentos comerciais em Votuporanga caiu 9,9% no mesmo intervalo de tempo, com a extinção de 193 empresas.

Segundo o assessor econômico da FecomercioSP, Jaime Vasconcellos, a queda é reflexo da crise. “Até 2013 o Brasil apresentou um bom crescimento. A partir de 2014 começamos a ter o início da crise, que refletiu no fechamento das pequenas empresas e na maior concentração dos estabelecimentos”.

Das atividades consolidadas, as maiores retrações foram registradas nos supermercados (-28,8%) e nas lojas de eletrodomésticos e eletrônicos (-9,8%).
Evolução dos estabelecimentos comerciais varejistas em Votuporanga: 2007 a 2016


Fonte: CAGED – Ministério do Trabalho
Elaboração e Cálculos: FecomercioSP

Apesar da baixa na quantidade de supermercados, eles aparecem como a atividade consolidada com maior participação entre os estabelecimentos do comércio varejista local, com 19% do total. Em seguida aparecem as lojas de vestuário, tecidos e calçados, com 16,4%.

Comum no setor como um todo, as micro e pequenas empresas predominam, também, no comércio varejista da cidade. Do total de estabelecimentos, 85,4% possuem até quatro funcionários, sendo responsáveis por 22,9% da força de trabalho do setor.

No município, as lojas de móveis e decoração são as que mais se destacam entre os estabelecimentos com até quatro empregados, já que 96,2% são desse porte, seguidas por 89,8% dos supermercados.Os estabelecimentos que possuem de 5 a 9 trabalhadores representam 8,6% do comércio varejista local, empregando 18,6% dos profissionais. Já as empresas do setor com maior porte, apesar de menor participação em quantidade de lojas, empregam percentuais expressivos de mão de obra. O destaque fica por conta dos estabelecimentos com mais de 50 colaboradores, que têm participação de 0,5% no mercado, mas possuem 24,7% do estoque de empregos formais.



Número de empregos formais por tamanho de estabelecimento - 2016


Fonte: CAGED – Ministério do Trabalho
Elaboração e Cálculos: FecomercioSP
Período: 2016



Sobre a FecomercioSP
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 154 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por cerca de 30% do PIB paulista - e quase 10% do PIB brasileiro -, gerando em torno de 10 milhões de empregos.

Publicidade