GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

CAV EMPATA NO SUFOCO COM A PORTUGUESA

Equipe reclamou da arbitragem e jogo terminou 2 x 2 na Arena

Publicado em: 10 de fevereiro de 2018 às 21:38

CAV EMPATA NO SUFOCO COM A PORTUGUESA
O árbitro Marcio Henrique de Gols teve papel fundamental no empate deste sábado. O árbitro marcou um pênalti inexistente para a Portuguesa na primeira etapa e teria compensado no segundo tempo, quando no último minuto de jogo assinalou penalidade máxima para o Votuporanguense, sem que houvesse qualquer inflação.

Com o resultado, a Portuguesa, que já não vence há quatro jogos, soma cinco pontos na tabela de classificação, contra dez do Votuporanguense. O time de Votuporanga segue brigando por uma vaga no G4.

Em situação delicada na competição, a Portuguesa usou uma estratégia cautelosa para surpreender o Votuporanguense. A Lusa optou pela marcação pressão e nas saídas em velocidade no contra-ataque. Acabou tendo resultado aos 24 minutos, quando o árbitro assinalou pênalti ao ver um toque de Ricardinho, inesistente. Fernando deslocou o goleiro e chutou rasteiro para abrir o placar.

Cinco minutos depois, a Portuguesa aproveitou a falha defensiva do time rival para fazer 2 a 0. Luizinho puxou o contra-ataque e acionou Raul. O atacante invadiu a área e tocou na saída de Vitor Prada. Enquanto a Lusa aproveitava as chances que criava, o Votuporanguense tentava colocar a bola no chão para equilibrar as ações.

Aos 32 minutos, Adriano avançou pela esquerda e cruzou. Gabriel tentou cortar, mas acabou jogando contra o próprio gol. E o Votuporanguense só não empatou, na sequência, poiso goleiro João Lopes fez uma defesa milagrosa no arremate à queima-roupa de Adriano Paulista.

DEIXOU EMPATAR!

No segundo tempo, o Votuporanguense foi com tudo para o ataque em busca do empate. Aos dez minutos, Adriano Paulista apareceu livre pelo lado direito e chutou cruzado. A bola tinha endereço certo, mas a defesa da Portuguesa se jogou na frente da bola para afastar o perigo.

Era ataque contra defesa em Votuporanga. Apesar de ter a posse de bola, o time da casa não conseguia criar jogadas de perigo e batia no ‘paredão’ formado pela Portuguesa. Nos minutos finais, porém, ocorreu vários lances curiosos marcados por Marcio Gois.

Primeiro, o árbitro anotou um tiro livre indireto para o Votuporanguense, pois o goleiro da Lusa ultrapassou o tempo permitido para ficar com a bola na mão. Já aos 50, marco pênalti, após carrinho de Flanklin - ele viu toque de mão. Na cobrança, Fio, que não tinha nada com isso, deixou tudo igual.

PRÓXIMOS JOGOS

Na próxima rodada, o Votuporanguense enfrenta o Rio Claro na quarta-feira, às 16h, no Estádio Plínio Marin, em Votuporanga. No mesmo dia, às 20h, a Portuguesa recebe o Audax no Canindé, em São Paulo.





(Osmar Silva – Futebol Interior)



Publicidade