GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

SANTA CASA AMPLIA CONTROLE DE INFECÇÃO

Novo protocolo de atendimento pra evitar o problema

Publicado em: 02 de novembro de 2018 às 09:31

SANTA CASA AMPLIA CONTROLE DE INFECÇÃO
A Santa Casa de Votuporanga vai implantar um novo protocolo de tratamento, visando melhorar ainda mais a assistência hospitalar. O programa Dica de Saúde, exibido nas redes sociais, convidou o coordenador responsável pela Rede de Urgência e Emergência do Município, Dr. Chaudes Ferreira Júnior, para contar um pouco mais sobre a Sepse.

Ele contou o que é a doença. “É um tema de extrema importância, não somente na nossa Instituição, mas em qualquer Hospital que tem acesso ao público. É uma infecção, um ciclo que acaba com o descontrole de resposta do organismo, provocando falência de um ou de vários órgãos”, explicou.

A Santa Casa está buscando um protocolo juntamente com o Instituto Latino Americano de Sepse. “Teremos todo acompanhamento e gerenciamento, mostrando a dificuldade de implantar este sistema. Na nossa Santa Casa, será o maior protocolo instituído, visto a tamanha a importância em termos de mortalidade. Quanto antes ocorrer o diagnóstico, mais precoce, o desfecho será positivo”, destacou.

Para existir diagnóstico precoce, é necessária abordagem mais rápida possível da forma correta. “Para que isso aconteça, a Instituição precisa estar pronta para receber os pacientes, fazer triagem já no Pronto Socorro ou Unidade de Terapia Intensiva (UTI), alas”, complementou.

Últimos estudos mostram que a mortalidade é alta. “De 50 a 53% das internações por sepse vão à óbito. Vamos fazer o protocolo, instituindo pacotes de atendimento na primeira hora e de duas a quatro horas, colhendo uma série de exames (kit sepse) e fazendo todo acompanhamento em todos os momentos da internação”, afirmou. O levantamento apontou que, com protocolo, a taxa cai para 25%.

Dr. Chaudes ressaltou os próximos passos da Santa Casa. “Nosso Hospital vai adquirir Selo Sepse entre dezembro e janeiro. Precisamos tratar este paciente, acompanhar na Instituição e fazer alta responsável direcionada aos problemas após o tratamento”, finalizou.



Publicidade