GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

INTERVENÇÃO DO NÚCLEO DE ARTES

A intervenção artística é uma maneira criativa e poética de interação através da arte

Publicado em: 07 de março de 2019 às 19:10

INTERVENÇÃO DO NÚCLEO DE ARTES
A intervenção artística é uma maneira criativa e poética de interação através da arte. O Núcleo de Artes Cênicas da Escola de Artes, mantido pela Secretaria da Cultura e Turismo de Votuporanga, buscando o diálogo com o público e adentrando ao universo feminino, através de suas alunas, fará nesta sexta-feira (08/03), a intervenção “Escritoras”, homenageando Clarice Lispector e Virginia Woolf.

A intervenção acontecerá em dois locais e horários e é gratuita e aberta a toda a população. A primeira apresentação será às 18h30, na Biblioteca Municipal “Castro Alves”, localizada no Centro de Informações Culturais e Turísticas, na Avenida Francisco Ramalho de Mendonça, nº 3112 no bairro Jardim Alvorada.

A segunda apresentação será às 20h, no Centro de Convenções “Jornalista Nelson Camargo”, abrindo o Concerto Especial Chiquinha Gonzaga “Um brinco de Concerto”, apresentado pela Orquestra Sinfônica da Escola de Artes, “João Cornachione ‘Oscarito’”. O Centro de Convenções está localizado na Avenida dos Bancários, 3299, no bairro Jardim Alvorada.

A apresentação será feita pelas alunas do NIAC, Lenise Moreti e Paula Valdrambrini, que representarão Clarice e Virgínia, escritoras que inauguraram estilos, lançaram tendências, conquistaram prêmios literários e foram reconhecidas em todo o mundo.

Clarice, nasceu na Ucrânia, mas assumidamente brasileira, deu vida à prosa introspectiva no Brasil. Seus textos são narrados de forma intimista e as impressões e sentimentos dos personagens assumem o primeiro plano. A ausência de linearidade em seu narrativa é justificada pelo predomínio do tempo psicológico.

Virgínia, escritora britânica conhecida como a “Proust Inglesa”, escreveu alguns romances e ensaios pioneiros sobre literatura. Considerada ícone do modernismo, inovou ao expor em sua narrativa o fluxo de consciência de seus personagens.

Publicidade