GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

Polícia prende 2º envolvido em morte de delegado em Rio Preto e encontra arma

Ele também é presidiário e gozava de "saidinha" da cadeia

Publicado em: 30 de junho de 2016 às 13:31

A Polícia Civil de Rio Preto prendeu o segundo suspeito de ter participado do assassinato do delegado Guerino Solfa Neto, no último sábado, 25. Rodrigo Costa cumpria pena no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) da cidade e havia recebido o benefício da saída temporária.

Ele foi preso quando retornou à unidade prisional na quarta-feira, dia 30. O acusado de efetuar os disparos, Abner Saulo Oliveira Calixto, 26 anos, se entregou no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), em São Paulo, na terça-feira, depois de a polícia localizar a caminhonete da vítima, uma Ford Ranger, estacionada em Capão Redondo, próximo à casa dos pais de Abner. Objetos pessoais do delegado também foram encontrados na residência.

Em depoimento na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Rio Preto, Rodrigo contou que abordaram o delegado para roubar porque queriam dinheiro para irem para São Paulo visitar familiares. Guerino foi morto quando os bandidos descobriram que ele era policial civil.

Abner e Rodrigo deixaram o CPP, beneficiados pela saída temporária, na quinta-feira, dia 23. Em seguida foram para diversos locais e consumiram bebidas alcoólicas e drogas. No dia do crime, eles andavam a pé pela rodovia BR-153, quando se depararam com a vítima dentro da caminhonete e fizeram a abordagem.

O delegado foi rendido, amarrado com um cabo de carregador de celular e jogado no banco de trás. Os criminosos seguiram, então, para a rodovia Washington Luís. No trajeto, exigiram dinheiro, que o delegado não tinha. Ao revirarem o veículo em busca da carteira da vítima encontraram uma arma entre o banco do motorista e o do passageiro. Momento em que eles descobriram que Guerino era policial.

A partir daí, o delegado foi agredido. A dupla parou a caminhonete na avenida marginal da rodovia Washington Luís, onde Guerino foi executado com tiros na nuca à queima-roupa, de cima para baixo. "Quando eles encontraram a arma, o Guerino disse que era advogado e pedia para fugirem com a caminhonete e deixarem ele sair. Rodrigo afirma que descobriram que Guerino era delegado ao limparem a caminhonete, já na Capital. Até então, eles acreditaram que ele era policial", disse o delegado José AugustoFernandes, responsável pela investigação. Os bandidos, então, fugiram. O corpo do delegado foi encontrado cerca de uma hora depois.

Investigação

Câmeras de segurança de um posto de combustível em Itirapina mostram que a caminhonete de Guerino foi abastecida no local e o motorista saiu sem pagar, no mesmo dia do crime.

Abner deve ser trazido para Rio Preto nesta quinta-feira, 30. Será ouvido formalmente pelo delegado José Augusto. A prisão dos dois suspeitos é temporária por 30 dias.




Arma

A arma utilizada no crime foi encontrada pela polícia nesta quinta-feira.



(Com Tatiana Pires – Diário da Região)

Publicidade