GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

"Caica" vira nome de rua após homenagem da Câmara

Serginho da Farmácia, os demais vereadores aprovaram por unanimidade projeto de lei que denomina rua de Jorge Machado Marques, o Caica

Publicado em: 03 de maio de 2016 às 13:26

A Câmara Municipal de Votuporanga prestou justa homenagem ao conhecido e folclórico Jorge Machado Marques, o Caic - antigo morador da cidade, vendedor de bilhetes da loteria.

Por iniciativa do presidente da Câmara Municipal, Serginho da Farmácia, os demais colegas aprovaram por unanimidade projeto de lei que denomina rua de Jorge Machado Marques, o Caic.

A atual rua Projetada 13, localizada no Loteamento Cidade Jardim II, em Votuporanga teve o nome alterado para Rua Jorge Machado Marques (Caíc). Ao fazer o uso da palavra, o autor da homenagem justificou e ressaltou a contribuição do morador para a cidade. “Ele não tinha uma vida muito fácil e convencional, mas apesar disso, Caíc foi uma pessoa feliz, sempre de bem com a vida, e tido como uma pessoa de bem por todos aqueles que cruzavam seu caminho”, disse o vereador.

Amigos e conhecidos do homenageado prestigiaram a votação do projeto, entre eles, Juliano Souza Silva, o Bombon, que teve contato com Caic nos últimos dias de vida. Ele usou a tribuna para discorrer os momentos vividos com o folclórico morador de rua.

Currículo

Jorge Machado Marques, nasceu em Orindiúva, Estado de São Paulo, nunca se casou e nem teve filhos. Filho de Pedro Machado Marques e Madalena Maria de Jesus, Caíca lembrava que tinha uma irmã viva, chamada Adair Machado Marques. Dos demais não recordava os nomes.

Caíc se mudou para Votuporanga no ano de 1944, seu endereço era as ruas de Votuporanga. Trabalhava na lavoura e colheita de café, na roça e por fim vendendo bilhetes da loteria federal pelas ruas da cidade.

Com o passar dos anos, naturalmente ele foi envelhecendo e a locomoção se tornou mais difícil, que o fez precisar de um andador.

Após sofrer lesões corporais e ser roubado, ele foi encaminhado ao Lar São Vicente de Paulo, ao qual permaneceu até o fim de sua vida. Caíca faleceu aos 84 anos, deixando um vasto círculo de amizades e seu nome era respeitado como pessoa de reputação ilibada.







Publicidade