GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

Votuporanga começa a fazer teste rápido de leishmaniose

Os kits são importados e distribuídos pelo Ministério da Saúde. Pessoal da saúde fez treinamento para novos procedimentos

Publicado em: 30 de junho de 2016 às 13:18

Votuporanga começa a fazer teste rápido de leishmaniose
A partir de agora, a Secretaria Municipal de Saúde irá disponibilizar para as unidades de pronto atendimento de Votuporanga os testes rápidos para detecção da leishmaniose visceral em humanos. Na suspeita da doença, os pacientes que apresentarem sintomas serão submetidos ao exame.

Para a aplicação do teste, enfermeiros da UPA – 24 horas (Unidade de Pronto Atendimento, Mini-hospital “Fortunata Germano Pozzobon”, Casa de Saúde Unimed e Santa Casa) participaram de uma capacitação, nesta semana, na sede da Secretaria de Saúde.

O treinamento teórico e prático foi ministrado pelo pesquisador científico do Centro de Parasitologia e Micologia do IAL (Instituto Adolfo Lutz) – Dr. Roberto Hiramoto. Segundo o especialista, o teste rápido já é confirmatório, ou seja, não há necessidade de se realizar um segundo exame. “O procedimento só deverá ser repetido, nos casos em que os resultados forem negativos”, disse.

Os kits são importados e distribuídos pelo Ministério da Saúde. Hiramoto pede cautela aos profissionais, ao aplicar o teste. “Recomendamos que não sejam utilizados indiscriminadamente. É necessário controle, sendo aplicado mediante avaliação e indicação médica”, alerta.

A enfermeira da Vigilância Epidemiológica do município, Fabiana Beneduzzi, coordenadora da capacitação, explica que o resultado fica pronto em 20 minutos. “O exame é seguro, garante quase 100% de eficácia e o diagnóstico é apresentado em apenas 20 minutos” – destaca.

Com o treinamento, o profissional de saúde já está habilitado para a realização dos testes mediante solicitação do médico.Em Votuporanga, 70 pessoas foram acometidas pela leishmaniose visceral, desde o registro do primeiro caso da doença em humanos, em 2011. Neste ano apenas um foi contabilizado. Em 2015, o município apresentou cinco ocorrências em humanos; 2014 – 11, em 2013 foram 21, 2012 – 25 e em 2011 foram seis casos.

Sintomas

Em humanos, os principais sintomas e sinais clínicos da doença são: febre irregular de longa duração (mais de sete dias); falta de apetite, emagrecimento e fraqueza; barriga inchada (pelo aumento do fígado e do baço, com o passar do tempo). No caso de suspeita da doença, o paciente deve procurar os serviços de pronto atendimento ou a unidade de saúde do bairro em que mora.

Publicidade