GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

Órgãos de jovem de 18 anos ajuda a salvar vidas pelo Brasil

Mãe de doador fala do gesto de contribuir para ajudar outras pessoas

Publicado em: 31 de janeiro de 2020 às 17:43

A Santa Casa de Votuporanga realizou a terceira captação múltipla de órgãos do ano nesta quinta-feira (30/01). A autorização de uma família da cidade de Cosmorama possibilitou que os profissionais da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do Hospital e da OPO-SJRP (Organização de Procura de Órgãos do Hospital de Base) retirassem fígado, rins, válvula do coração, pulmão e córneas.

Andreia de Campos dos Anjos, mãe do jovem Rodrigo de Campos dos Anjos, de apenas 18 anos, foi quem se propôs a doar os órgãos do filho, quando soube da morte encefálica do mesmo. “Independente da nossa perda, eu penso que há outras mães esperando por esta notícia, da possibilidade de um transplante, para poder ficar mais com seus filhos, para aproveitar o tempo com eles, assim como fizemos com o Rodrigo. Deus tirou o nosso, mas deu a possibilidade de outros viverem mais. É fazer o bem, sem olhar a quem”, disse.

O jovem que doou os órgãos iniciaria os estudos de Ciências Contábeis na próxima segunda-feira (03/02), em uma faculdade de Monte Aprazível. “Ele era muito inteligente, tinha várias medalhas de olimpíadas de matemática, além de ser tricampeão estadual de tênis de mesa paraolímpico. Sinto que ele ainda vive. Gostaria que mais pessoas tivessem a coragem que tive, pois eu fico imaginando como foi para a mãe de quem recebeu um dos órgãos, saber da notícia que seu filho poderá viver mais e melhor com o transplante. Que eu possa incentivar outras famílias a dizer este sim, neste momento difícil para nós, mas de alegria e oportunidade para quem está em uma fila de espera”, concluiu.

Para a coordenadora de Enfermagem da CIHDOTT, Kelly Almeida, o sim da família é parte fundamental do processo. “Nossa equipe sempre fica muito honrada a cada sim que recebemos, ainda mais quando nos deparamos com pessoas tão esclarecidas e sabendo do bem que estão fazendo ao próximo. Trabalhamos dia e noite para que isso possa acontecer cada vez mais vezes, nosso muito obrigada a esta mãe”, disse.

De acordo com a enfermeira Regiane Sampaio, da equipe da OPO-SJRP, a sensação de presenciar atitudes como desta família é única. “É uma lição de vida diária!! Acredito que somos privilegiados em vivenciar diariamente o processo da ‘Doação de Órgãos e Transplantes’. A nobreza e benevolência das famílias doadoras dão um toque suave em meio a dor da perda. Uma lição de vida em cada conversa e contato. Sem dúvida nenhuma, hoje sou uma pessoa melhor, desde que trabalho na OPO. Essa mãe é surpreendente, evoluída e nos recebeu muito bem, mesmo no pior momento da vida dela! Inesquecível!”, disse.

O provedor da Santa Casa, Luiz Fernando Góes Liévana, sensibilizado com o ato de amor, enalteceu o gesto nobre da família. “Sabemos que este momento não é fácil, mas além da dor da perda, realizar este gesto solidário e tão importante para outras famílias me comove e me faz acreditar na humanização que eu sempre falo. Que outras pessoas possam tomar como exemplo a dona Andreia, que nos deixa até sem palavras, por tamanha generosidade”, falou.

Publicidade