GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

Pais que usavam carrinho de bebê para esconder droga em Fernandópolis são condenados

Pais que usavam carrinho de bebê para esconder droga em Fernandópolis são condenados

Publicado em: 25 de outubro de 2012 às 08:55

O casal D. R. S e C.M.N tiveram a pena reajustada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Pai e mãe utilizavam o filho num carrinho de bebê para vender drogas. O entorpecente ficava dentro do carrinho junco com a criança.

Em primeira instância, D. R. S., havia sido condenado a nove anos de prisão em regime fechado e C.M.N., a dois anos. As penas foram reajustadas pelo TJ para respectivamente sete anos, três meses e 15 dias de reclusão e 729 dias-multa e um ano, 11 meses e dez dias de reclusão, e pagamento de 194 dias-multa.

Os dois foram presos em flagrante por policiais militares em abril de 2011 na Praça do Corinto com o filho dentro do carrinho e junto com ele 2,9 gramas de crack e seis porções pesando 25,7 gramas de maconha, dois aparelhos celulares e R$ 129 em dinheiro.

"Em crime de entorpecente, a palavra do policial, investido regularmente no desempenho de função pública, ao dar conta de sua atividade oficial, goza de presunção de veracidade até prova em contrário, que não pode ser a impugnação genérica, sem nenhuma ligação específica com o fato apurado e as pessoas nele envolvidas. Ainda que se aceitasse como verdade, o fato do rapaz ser também usuário de droga não obsta a condenação pelo tráfico de entorpecente, se o crime mais grave resultar demonstrado. É induvidoso que não se pode ter como boas a conduta social e a personalidade de agentes que mantém em depósito crack e maconha, utilizando-se de um carrinho de bebê e da própria criança para disfarçar o narcotráfico", concluiu o desembargador Renê Ricupero, da 13ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça.

(Cidadaonet)


Publicidade