GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

Promotoria investiga prostituição de adolescente

Aliciadora agendava encontro de advogados, médicos e empresários com menor em Ipiguá

Publicado em: 27 de julho de 2016 às 09:57

Promotoria investiga prostituição de adolescente
A promotoria da Infância e Juventude de São José do Rio Preto (SP) está investigando um caso de exploração sexual a uma menina de 13 anos em Ipiguá (SP). A aliciadora seria namorada de Abner Calixto, acusado de matar o delegado Guerino Solfa Neto, mês passado, em Rio Preto.



Segundo a adolescente, os encontros eram marcados pelo celular da aliciadora. A maioria dos encontros teriam acontecido em um motel às margens da BR-153, entre Onda Verde (SP) eIpiguá. O juiz da Vara da Infância e Juventude Evandro Pelarin já está com a lista dos supostos homens que pagaram para abusar sexualmente da adolescente. A lista tem médico, advogado, empresário, político e funcionário público. “Preocupa muito a situação, por isso que precisamos de uma investigação concreta porque tem nomes de pessoas influentes na cidade, como político, comerciante e médicos da região”, afirma André Luiz de Souza, promotor da Infância e Juventude.

O juiz Evandro Pelarin disse que pedirá a prisão de quem tentar obstruir a investigação. “Muito importante dizer que se houver manifestação dos suspeitos em chegar perto da menina, vamos entender como ameaça a investigação e o caso é sério. As medidas cabíveis de quem obstruir a investigação é a prisão”, afirma.

O abuso

A adolescente de 13 anos falou, com exclusividade para a TV TEM, sobre o trauma do abuso sexual que sofreu durante meses. Ela conta que a mãe usa drogas e a expulsou de casa no começo do ano e por isso foi morar na casa de um namorado em Ipiguá.

Mesmo com o fim do relacionamento, ela continuou na casa. A mãe do rapaz teria a obrigado então a fazer programas como forma de pagamento pela moradia. “Ela disse: 'Não vai dar para você comer nas minhas costas, bebendo, vivendo as minhas custas não'. Aí eu falei: 'Mas eu não trabalho, o que você quer que eu faça?' Ela pegou e falou assim: 'Você vai se prostituir junto comigo'. Aí eu pensei: vou morar na rua, fiquei sem chão. Então eu aceitei”, afirma.

Os clientes arranjados pela dona da casa pagavam de R$ 50 a R$ 200 por encontro. A exploração sexual aconteceu durante quatro meses, conta a vítima. “Às vezes eles pegavam em frente de casa, às vezes pegavam no trevo de Onda Verde ou indo para Rio Preto, para ninguém saber mesmo”, diz a jovem.

Segundo a adolescente, a aliciadora tem 38 anos e também faz programas. De acordo com a investigação, ela é namorada de Abner Calixto, o acusado de matar no mês passado o delegado Guerino Solfa Neto. Ele cumpria pena por outros crimes no Centro de Detenção Provisória de Rio Preto quando começou a ter um caso com ela.

Quando a adolescente descobriu o envolvimento do namorado da aliciadora com a morte do delegado, ela ficou assustada e disse que queria ir embora, mas acabou sendo agredida. “Falei que não quero fazer mais e ela começou a me agredir, disse que não ficaria mais na casa dela. Aí saí nervosa da casa e resolvi pedir ajuda”, afirma.

Uma moradora da cidade acabou levando o caso para o conselho tutelar. O conselho tutelar denunciou o caso na Vara da Infância e Juventude. A promotoria vai encaminhar o caso para o Gaeco, que é o Grupo de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público. “Juntamos os documentos necessários para analisar a questão e proteger a adolescente, que já está protegida”, diz o promotor.



(TVTEM/G1)

Publicidade