GD Virtual - Sites e Sistemas Inteligentes
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicidade

VOTUPORANGA TEM ACUSADO DE TRÁFICO REGIONAL

Operação é coordenada pela DISE de Rio Preto

Publicado em: 28 de junho de 2019 às 16:29

Uma pessoa de Votuporanga é apontada pela Polícia Civil de Rio Preto como integrante de uma quadrilha que trafica em toda a região. Ontem (27) cinco pessoas de uma mesma organização criminosa, especializada em comércio de drogas, foram presas durante uma ação realizada por policiais da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise). Além de Rio Preto, também foram cumpridos mandados de prisão em Votuporanga e Gastão Vidigal.

O grupo já era investigado e, em outras operações anteriores realizadas no ano passado, quatro integrantes já tinham sido presos e quase 350 quilos de entorpecentes foram apreendidos. De acordo com o delegado titular da Dise, Lincoln Flauzinir Marques de Oliveira, a investigação já era realizada há quase um ano e, apesar das prisões, os líderes da organização criminosa continuavam soltos. “Intensificamos o levantamento de informações e conseguimos identificar os demais integrantes. Com base nesta apuração desencadeamos a operação e prendemos cinco procurados, entre eles, um dos supostos líderes”, explica.

A quadrilha, segundo o delegado, tinha uma logística bem coordenada. “O grupo tinha uma clara divisões de tarefas. A droga vinha de São Paulo e era levada para um local aqui na cidade. Lá, tinha outra pessoa que fracionava os entorpecentes em porções e outro integrante fazia o transporte para traficantes menores de Rio Preto. Também descobrimos que outros traficantes da região se abasteciam por meio desta organização”.

Um suspeito não foi encontrado em Rio Preto. “Estamos à procura deste indivíduo, mas ele até o momento não foi localizado pelas equipes da Dise. Outros quatro integrantes do grupo são procurados pela Polícia Civil de São Paulo, pois atualmente vivem naquela localidade”, afirma o delegado.

Os envolvidos presos responderão pelo crime de tráfico de entorpecentes e organização criminosa. Os integrantes que ainda estão foragidos têm o pedido de prisão provisória expedido pela Justiça e são considerados foragidos.

Ações anteriores

No mês de agosto do ano passado, quando a Dise fez a primeira apreensão, um homem foi preso. Ele estava com três quilos de cocaína e 275 comprimidos de ecstasy. “A partir desta prisão a quadrilha mudou totalmente a logística e forma de operação. O transporte passou a ser feito por meio de ‘mulas’ e os pagamentos por meio de carros ou movimentações bancárias. Mesmo com toda mudança em outubro nossos investigadores descobriram o local que a organização armazenava as drogas em Rio Preto”, conta o delegado.

Em outubro do ano passado, policiais civis apreenderam em uma casa, no bairro Cecap, 300 quilos de maconha, 10 quilos de cocaína, três armas de fogo e materiais usados no fracionamento da droga. Uma pessoa ligada à organização foi presa nesta ação. Em outra operação da Dise em dezembro, outras duas pessoas foram presas e mais drogas foi apreendida.




(Com Alex Pelicer, Gazeta de Rio Preto)

Publicidade